Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes para aprimorar ainda mais a sua experiência em nosso site. Consulte nossa Política de Privacidade para obter mais informações. Ao usar nosso site, você concorda com o uso de cookies.

A cafeína é um composto químico pertencente ao grupo dos alcalóides e se classifica como uma metilxantina. As substâncias alcaloides são conhecidas por sua ação estimulante no sistema nervoso central (SNC). Presente em diversas espécies vegetais, como café, cacau, chá verde, erva mate, guaraná e ainda em bebidas como refrigerantes e energéticos, a cafeína é amplamente consumida pela população de uma forma geral. No entanto, no meio esportivo, a cafeína destaca-se pelo seu potencial como recurso ergogênico, sendo um dos suplementos mais consumidos em todo o mundo. Os recursos ergogênicos são quaisquer substâncias, técnicas ou equipamentos que proporcionam melhora da performance esportiva. Neste sentido, a cafeína é utilizada com o principal objetivo de postergar a fadiga e pode ser usada tanto nas modalidades esportivas que utilizam-se de metabolismo aeróbio, quanto anaeróbio, com ou sem oxigênio, respectivamente.

 

Sua absorção pelo trato intestinal é bastante rápida, chegando a corrente sanguínea cerca de 15 a 30 minutos após sua ingestão, com pico após 60 minutos, ou seja, proporciona um efeito agudo. No entanto, alguns fatores podem interferir nessa metabolização, como peso corporal, gênero, estado de hidratação, consumo habitual de cafeína, dieta, uso de medicamentos, o que também vai interferir na quantidade de metabólitos excretados pela urina. Cada vez mais as pessoas procuram por alternativas que possam manter o estado de alerta para conseguir desempenhar as tarefas diárias. Além do consumo habitual da cafeína devido à sua presença em produtos alimentícios, ela também pode ser usada como suplemento para promover o efeito estimulante e contribuir para a melhora do foco e concentração e redução da fadiga. Mecanismo de ação A via central de ação da cafeína se dá pela estimulação do sistema nervoso simpático, em que há aumento da liberação e ação das catecolaminas, entre elas a adrenalina e noradrenalina. A adrenalina por sua vez promove vasodilatação, glicogenólise e broncodilatação, esses efeitos fisiológicos permitem melhora da irrigação sanguínea, geração de energia e da capacidade respiratória.

 

Além disso, a cafeína bloqueia os receptores de adenosina. A adenosina é um nucleosídeo com ações no sistema nervoso central e também na região periférica, que quando recebe algum tipo de interação no seu receptor A1, há inibição da enzima adenilciclase, proporcionando efeitos e sensações de relaxamento, como redução da frequência cardíaca e respiratória, indução de sono, redução da atividade motora, inibição da liberação de alguns neurotransmissores e hormônios. Porém, a cafeína tem ação antagonista nos receptores A1, com isso há aumento dos níveis de AMPcíclico (AMPc), considerado um segundo mensageiro intracelular, isso significa que as atividades neurais ocorrem de forma mais acelerada, o que se reflete também nas regiões periféricas, tendo em vista que a adenosina está presente em diversos tecidos além do SN, como coração, músculo esquelético e adipócitos.

 

Sendo assim, há aumento da concentração, melhora do humor, diminuição no tempo de reação, aumento da liberação de catecolaminas, aumento da mobilização de ácidos graxos livres e sua consequente oxidação, e uso de triglicérides pelos músculos. Já a ação periférica da cafeína ocorre indiretamente pela ação das catecolaminas, como citado acima ou ainda diretamente no músculo esquelético através da redução do limiar de excitabilidade das fibras musculares.

 

Esse mecanismo permite prolongar a duração da contração muscular e ocorre através do aumento da liberação de cálcio do retículo sarcoplasmático para o sarcoplasma, com isso há aumento das concentrações de cálcio disponível na célula para a realização dessa contração e permitindo maior sensibilidade da actina e miosina (proteínas contráteis das células musculares) ao cálcio. O aumento de cálcio nas fibras musculares desencadeia outro mecanismo de ação que pode aumento da atividade da bomba de sódio e potássio, em que há aumento das concentrações de potássio no meio intracelular e mais baixas no extracelular, garantindo melhora na contração muscular.


Benefícios:

-Estimulante;?

-Oxidação lipídica;

-Otimização da contração muscular;

-Melhora da performance esportiva;

-Melhora do foco e concentração;

-Melhora do estado de alerta;

-Efeito termogênico.


Modo de usar:

Tomar 1 a 2 cápsulas ao dia ou conforme orientação profissional.


Validade: 6 meses.

1 - Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado.

2 - Imagens meramente ilustrativas.

3 - Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

4 - Pessoas com hipersensibilidade à substância não devem ingerir o produto.

5 - Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico.

6 - Não use o medicamento com o prazo de validade vencido.

7 - Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.

8 - Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

9 - Este medicamento não deve ser utilizado durante o período de amamentação sem orientação médica.

10 - A utilização do produto deve ser feito por pacientes de idade adulta.

11 - Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação médica.

12 - Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

13 - "SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO".

14 - "Os resultados e indicações referentes ao uso desse produto foram avaliados e comprovados pelo fabricante do insumo farmacêutico. Não garantimos os resultados descritos, estes variam de pessoa para pessoa dependendo de diversos fatores como alimentação, prática de exercícios físicos, presença de outras patologias, bem como, o uso correto do produto conforme descrito na posologia.”

15 - Em caso de dúvidas, consulte nossa equipe e farmacêutico.

 

"Venda sob prescrição de profissional habilitado, podendo este ser o nosso farmacêutico de acordo com a Resolução 586/2013 do Conselho de Farmácia. Consulte-o!"

 



FAÇA SUA AVALIAÇÃO



FAÇA SUA PERGUNTA

Você precisa estar logado em sua conta para tirar suas dúvidas.

Faça seu login.
RECEBA NOVIDADES E PROMOÇÕES
Curavida Manipulação LTDA.

CURAVIDA MANIPULAÇÃO LTDA.

CNPJ: 06.994.307/0001-31

Rua Marechal Floriano Peixoto, 371

Centro-Rio Grande/RS - CEP 96200-380

Fone: (53) 3231-7087

REDES SOCIAIS

CERTIFICADOS

FORMAS DE PAGAMENTOS

Diretor Técnico Dr. Diogo Sant'Anna Pias CRF-RS 7661

AE: 1.08198.5 | AFE: 0.423397.5 | Certidão de Regularidade nº 17249

Licença Sanitária nº 431560288-477-000003-1-0 

© 2021 Curavida Manipulação LTDA. - Todos os direitos reservados - Desenvolvida por WGR Tecnologia